A VIDA NÃO É DIA SIM, DIA NÃO !

A VIDA NÃO É DIA SIM, DIA NÃO !

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Vai ser sempre assim


Ontem numa aula na faculdade, o tema de conversa foi parar à mentalidade das pessoas, e eu não poderia estar mais de acordo com o que meu professor disse. A sociedade do nosso país tem uma mentalidade ainda fechada em relação a quase tudo, e não me refiro só às pessoas já de idade avançada, mas em grande parte à dos adultos. O tema daquele momento foi propriamente o aconchego de situações que já atravessaram os meus dias, inúmeras vezes. Não foi mais, nem menos, do que a mudança de classe social, que em Portugal não é admita pelas pessoas mais chegadas. Alguém que nasça pobre, tem de ser pobre para a vida toda ou alguém que nasça rico, tem de ser rico para sempre. Não, isto não tem nexo algum, ou pelo menos para mim não tem. Como é que é possível haver tanta inveja, tanto desprezo e tanta crítica, contra alguém que tenha conseguido mudar de qualidade de vida com o próprio esforço e trabalho ? Só mesmo neste país … Nos Estados Unidos é completamente o contrário. Se alguém conseguir subir na vida por tais razões é visto como um herói, uma pessoa fenomenal que conseguiu tudo aquilo por si próprio. Aqui não, aqui é sempre a mesma coisa, mas também vai continuar a ser assim, porque com o que me deparo, as pessoas estão cada vez pior.

Se pudesse apanhava já o próximo voo e ia em direcção ao outro lado do Oceano Atlântico !

9 comentários:

  1. obrigada $:
    concordo plenamente com este texto!

    ResponderEliminar
  2. obrigada querida, (;
    sim podes levar, não há mal *
    eu não consigo seguir o teu x:

    ResponderEliminar
  3. Já estive mais longe de ir para o outro lado do oceano!
    Mal vejo o dia de deixar este país para trás!

    ResponderEliminar
  4. Bora? vamos as duas! xD
    mas é bem verdade aquilo que referiste. hoje em dia, os ricos não valorizam o seu estado, pois não têm consciência que de um momento para o outro podem perder tudo, e também muitos pobres pensam que não há nada a fazer, infelizmente ainda há disto!
    ***

    ResponderEliminar